A Região

Arcos de Valdevez é uma vila raiana portuguesa no Distrito de Viana do Castelo, região Norte e sub-região do Minho-Lima, com cerca de 22 000 habitantes. Arcos de Valdevez é sede de um município com 447,60 km² de área e 22 847 habitantes (2011), subdividido em 36 freguesias. O município é limitado a norte pelo município de Monção, a nordeste por Melgaço, a leste pela Galiza, a sul por Ponte da Barca, a sudoeste e a oeste por Ponte de Lima e a oeste por Paredes de Coura. O ponto mais alto do concelho situa-se na Pedrada, com a altitude de 1 416 metros, na Serra de Soajo.

Torneio de Arcos de Valdevez

torneio

O episódio teve lugar possivelmente no início de 1140, na chamada "Veiga da Matança", às margens do rio Vez (tributário do rio Lima), em Arcos de Valdevez, quando D. Afonso Henriques, após a vitória na batalha de Ourique (1139), rompeu a paz de Tui (1137) e invadiu a Galiza. Em resposta, as forças de Afonso VII de Leão e Castela entraram em terras portuguesas, arrasando os castelos à sua passagem, descendo as montanhas do Soajo em direção a Valdevez.

Igreja da Lapa

lapapA Igreja da Lapa situa-se na vila de Arcos de Valdevez em Portugal. É em estilo barroco típico Rococó.

O projecto da igreja devotada a Nossa Senhora da Lapa, é atribuído a André Soares e ficou concluído em 1767.

A igreja apresenta uma planta centralizada, o exterior tem uma forma oval e a torre atrás da capela mor.
O interior tem uma forma octagonal com uma alta cúpula.

Pelourinho do Soajo

pelourinhosoajoO Pelourinho de Soajo localiza-se no Largo do Eiró, na freguesia do Soajo, vila e concelho de Arcos de Valdevez, distrito de Viana do Castelo, em Portugal.

A data da sua edificação é incerta, embora o "Foral Novo" concedido à vila por Manuel I de Portugal em 1514 possa apontar para a sua construção. De acordo com António Martinho Baptista, supõe-se que seja do século XVII, embora não haja fundamento em documentação que o sustente. A sua cronologia tardia é atribuída à ausência de vestígios de guarnições de ferros.

Encontra-se classificado como Monumento Nacional por Decreto de 16 de junho de 1910.

Em março de 1980, uma junta de bois atrelada a um carro, desgovernada, embateu no pelourinho partindo-o em três partes, sendo posteriormente restaurado.

Paço de Giela

paco giela

O Paço da Giela localiza-se na freguesia de Giela, vila e concelho de Arcos de Valdevez, distrito de Viana do Castelo, em Portugal.

Constitui-se em uma habitação nobre, inscrita em meio rural, datada da Idade Média. O seu aspeto atual é resultado de duas grandes etapas construtivas: uma plenamente baixo-medieval, e outra, de inícios do século XVI. Encontra-se classificada como Monumento Nacional desde 1910.

Espigueiros de Soajo

espigueiros

O conjunto dos Espigueiros de Soajo (Soajo, Arcos de Valdevez) compõem uma eira comunitária constituída por 24 espigueiros, todos em pedra e assentes num afloramento de granito. O mais antigo data de 1782. Alguns destes espigueiros são ainda hoje utilizados pela população.

Está classificado pelo IGESPAR como Imóvel de Interesse Público desde 1983.

Santuário de N.ª Senhora da Peneda

peneda

O Santuário de Nossa Senhora da Peneda localiza-se na freguesia de Gavieira, concelho de Arcos de Valdevez, distrito de Viana do Castelo, em Portugal. Inscreve-se no Parque Nacional da Peneda-Gerês.

Foi construído entre os finais do século XVIII e o terceiro quartel do século XIX. A igreja foi terminada em 1875.

Parque Nacional da Peneda-Gerês

parque

O Parque Nacional da Peneda-Gerês ou conjunto serrano da Peneda-Gerês, situa-se no extremo nordeste do Minho, estendendo-se até Trás-os-Montes, desde as terras da Serra da Peneda até a Serra do Gerês - daí a sua designação -, sendo recortado por dois grandes rios, o Rio Lima e Cávado. Esta Área Protegida forma um conjunto com o parque natural espanhol da Baixa Limia - serra do Xurés, constituindo com este, desde 1997, o Parque Transfronteiriço Gerês-Xurés e a Reserva da Biosfera com o mesmo nome.

O Parque Nacional da Peneda-Gerês é considerado pela UNESCO como Reserva Mundial da Biosfera.

×

Entrar