Pelourinho do Soajo

pelourinhosoajoO Pelourinho de Soajo localiza-se no Largo do Eiró, na freguesia do Soajo, vila e concelho de Arcos de Valdevez, distrito de Viana do Castelo, em Portugal.

A data da sua edificação é incerta, embora o "Foral Novo" concedido à vila por Manuel I de Portugal em 1514 possa apontar para a sua construção. De acordo com António Martinho Baptista, supõe-se que seja do século XVII, embora não haja fundamento em documentação que o sustente. A sua cronologia tardia é atribuída à ausência de vestígios de guarnições de ferros.

Encontra-se classificado como Monumento Nacional por Decreto de 16 de junho de 1910.

Em março de 1980, uma junta de bois atrelada a um carro, desgovernada, embateu no pelourinho partindo-o em três partes, sendo posteriormente restaurado.

Há uma tradição local que atribui ao triângulo a representação do pão a esfriar na ponta de uma lança. Mas a carranca também pode remeter para um chapéu tricorne. Embora a população local tenha perdido há muito o primitivo significado da gramática figurativa do seu pelourinho, atualmente associa-a ao rodo, instrumento agrícola utilizado para nivelar o milho novo nas eiras. É curioso que o lugar onde se ergue o pelourinho se chame Largo de Eiró, que nesta região do norte e nordeste significa o maior largo da aldeia, uma ampla eira. Ora, o rodo tem numa extremidade uma parte triangular em madeira e, na sua função de nivelamento do cereal na eira, pode comparar-se à de nivelamento do pelourinho, antigo símbolo da jurisdição concelhia, simbolizando o conceito de que a justiça é igual para todos. Outra possível explicação sustenta que, no reinado de Dinis I de Portugal, os monteiros se terão queixado dos abusos dos fidalgos, pelo que o monarca terá dado ordem para que estes não se demorassem na vila mais do que "o tempo de esfriar um pão na ponta de uma lança".

Facebook Twitter Google+ Pinterest
×

Entrar